Honda Civic Type-R 2.0 VTEC 320cv – O rei dos hothatches

0 comments

Quando falamos em Honda Civic, a sigla que nos vem logo à cabeça é a “Type-R”. Desde sempre que o Civic Type-R tem sido a referência no seu segmento, e, apesar de hoje já haver outros hothtaches com muita qualidade, podemos dizer que a coroa dos hothatches ainda permanece com o Civic Type-R.

 

 

Ao contrário do que acontece com outros hothatches, ao longe, o Civic Type-R nunca será confundido com a sua versão normal porque as diferenças estéticas são mais que muitas, mesmo para um Civic com o pack desportivo.

Na parte dianteira temos um capot com uma entrada de ar para o motor, entrada de ar essa que de dentro do carro permite-nos ver o “caroço” à nossa frente. Os para-choques são muito mais acentuados devido à presença de um spoiler inferior e, ainda o facto de nas pontas existir uma aba que faz lembrar as das asas de um avião. As entradas de ar deixam de ser puramente estéticas e passam a ser verdadeiras, para aumentar a aerodinâmica e ajudar a arrefecer os travões. Importa realçar a insígnia “Type-R” na grelha e um enorme “H”, desta vez em fundo vermelho. Na parte lateral o Type-R vem de série com umas incríveis jantes pintadas a preto e de 20 polegadas! Essas jantes têm um rebordo vermelho que combina com as enormes bombas de travão vermelhas da Brembo. Junto às portas da frente temos uma entrada de ar que faz fluir o mesmo e, permite criar maior aerodinâmica, e, à semelhança da frente, um spoiler inferior com uma “aba de asa de avião”. Nota-se também a olho nu que a Honda alargou as embaladeiras do Civic de forma a criar um automóvel mais robusto e estável. A parte traseira é a melhor! À semelhança da lateral e dianteira, temos um para-choques com um spoiler inferior, que aqui se faz acompanhar de um difusor e de 3 magníficas ponteiras de escape, todas funcionais! No topo da bagageira temos um enorme spoiler para criar o maior peso possível para manter o Civic colado ao chão. Como se pode verificar, nada neste carro é falso, até as pequenas ranhuras que temos no topo da bagageira têm uma funcionalidade que é obrigar o vento a passar por baixo do spoiler para uma maior eficiência. As únicas coisas falsas neste carro são as entradas de ar do para-choques traseiro.

O interior é muito semelhante ao do Civic normal, mas com algumas diferenças que o tornam mais especial e desportivo, nomeadamente os pormenores vermelhos que estão por todo o lado!

No tablier temos frisos vermelhos em volta das saídas de ventilação e por baixo do friso, este último é em “fibra de carbono”. Temos ainda um efeito de pesponto por baixo do mesmo friso, só é pena não ser em vermelho para acompanhar tudo o resto, tal como acontece nas portas. No volante também estão presentes os pormenores vermelhos e, obviamente, o símbolo da Honda com o fundo vermelho. O que também é diferente é a maneta da caixa de velocidades, é metálica e tem um feeling bastante desportivo. O centro das portas e o encosto de braço na consola central estão cobertos por alcântara, conferindo um aspeto bastante desportivo e visualmente agradável. Na consola central existe ainda os seletores dos modos de condução e uma chapinha com a indicação do número de produção, sendo a unidade ensaiada a 30.038, um automóvel bastante exclusivo considerando o número de automóveis que são produzidos anualmente. As baquets são vermelhas, na parte traseira são em “fibra de carbono” e, na parte central têm a inscrição “TypeR”. No geral a qualidade dos materiais é boa, com materiais suaves no tablier e portas, assim como a qualidade de construção.

O sistema de infotainment é igual ao de todos os Hondas, com a diferença de que as letras ao invés de serem azuis são vermelhas. Este está disponível através de um ecrã tátil de 8 polegadas que tem uma resolução razoável e uma velocidade de processamento muito boa. O sistema em si é bastante completo e intuitivo, pois é como se estivéssemos a operar um tablet ou smartphone. Temos várias “páginas” onde podemos colocar os atalhos para as nossas aplicações. Sim aplicações, o sistema da Honda tem a sua própria loja de aplicações onde podemos escolher as que queremos instalar no nosso carro. De série já vem com algumas aplicações que podem ser úteis tais como meteorologia, trânsito e até mesmo uma calculadora, para não perdermos tempo a procurar o telemóvel. Ainda na tecnologia, temos um painel de instrumentos digital. O seu aspeto não pode ser modificado, mas na sua parte central conseguimos variar a informação por ele apresentada, desde o computador de bordo, sistema de navegação, configuração dos sistemas de ajuda à condução, entre outros. Para além desses menus normais o Type-R dispõe do medidor de força G, do conta rotações desportivo para “ver-matching” e o cronómetro para contar o tempo em circuito. Ainda existe outro pormenor interessante no painel de instrumentos que é o ponteiro do combustível ter um efeito 3D que faz parecer que tem mesmo combustível/líquido dentro do mesmo, que no Type-R é vermelho e não azul.

Nas ajudas à condução podemos contar com o assistente de estacionamento com sensores dianteiros e traseiros, assim como uma câmara traseira com três tipos de visualizações. Temos ainda o assistente de manutenção na faixa de rodagem, o cruise control adaptativo, travagem autónoma de emergência, entre outros.

O Civic Type-R vem equipado com um motor 2.0 de cilindrada a gasolina com 320cv e 400Nm de binário. Este fantástico motor catapulta o Civic dos 0 aos 100 em apenas 5,7s e é capaz de atingir uma velocidade máxima de 272Km/h.

Mas não é só “sprints” e andar a velocidades elevadas que fazem um bom carro desportivo. O comportamento dinâmico em curva/circuito também é essencial, e podemos dizer que o Type-R tem tudo isso. Em curva o Type-R comporta-se lindamente, bem plantado ao chão, a direção é precisa e conecta-nos bem à estrada e a caixa de velocidades tem um ótimo felling e está posicionada para que possamos fazer uma troca rápida, por forma a manter sempre as rotações altas e a ter o Type-R sempre com o máximo de folgo. Só lamentamos é que a nota de escape deixe muito a desejar, pois um escape com uma sonoridade boa é metade da experiência de condução. De referir que as baquets tem um ótimo encaixe para quando fazemos este tipo de condução, e ao mesmo tempo são confortáveis para podermos fazer longas viagens.

Para uma condução normal o Type-R comporta-se como um Civic normal se pusermos em modo “Comfort”, pois torna-se um automóvel mais dócil e calmo ao ponto de nos esquecermos que temos 320cv debaixo do capot. A direção também se torna mais leve o que facilita as manobras em cidade, e a visibilidade é boa, pois apesar do grande spoiler, o mesmo não aparece no campo de visão no retrovisor. O único inconveniente é a caixa de velocidades que se mantêm bastante rija e a velocidades mais baixas existe um pouco de dificuldade em engrená-las.

Em autoestrada também é ótimo! Como já referi as baquets são confortáveis e o Civic está bem isolado e não ouvimos praticamente barulhos do exterior.

O que também surpreendeu bastante foi os consumos, pois é o primeiro automóvel desportivo que conduzo a fazer uma média de 9 lts por 100 km!

A versão ensaiada custa 51 670€ e paga 238,66€ de IUC, no entanto, pode obter um Civic Type-R a partir de 48 600€. O Type-R vem com 7 anos de garantia.

Vídeo Youtube aqui.

Leave a comment

All blog comments are checked prior to publishing

Our Partners.

The cookie settings on this website are set to 'allow all cookies' to give you the very best experience. Please click Accept Cookies to continue to use the site.
You have successfully subscribed!
This email has been registered