BMW 116D Pack M 116cv – O virar da página

Este novo série 1 foi uma lufada de ar fresco para o compacto da BMW. É um facto que o série 1 é o best seller da BMW, mas também é um facto que o Mercedes classe A veio criar moça nas vendas do série 1, apresentando-se como uma boa novidade, dado que entre os duas últimas gerações do série 1 houve uma estagnação, parecendo que a nova geração se tratava mais de um re-style (especialmente no interior) do que um modelo novo. Mas esta última geração que hoje apresento quebra com tudo o que está para trás, e ainda bem!

Inicialmente não estava seguro em relação ao design exterior do série 1, principalmente porque nas fotos dava a perceção de ser uma “cópia” do novo Mercedes classe A. Na presença do carro de imediato percebi que de isso não se tratava.

A parte dianteira já tem a nova grelha da BMW, que continua a ser a típica “grelha dos rins”, mas agora com uma dimensão muito maior. Tratando-se do pack M temos um para-choques bastante aberto e com umas entradas de ar verdadeiras para aumento da aerodinâmica. Na parte lateral a típica silhueta de série 1 também se alterou, sendo mais notório o pilar traseiro que já não é o que estávamos acostumados em todos os outros modelos. Como se trata do pack M temos o logo M junto das portas e umas jantes de 19 polegadas com um design fantástico. Na parte traseira temos umas óticas que vão ao encontro da nova linguagem de design da marca com uns efeitos 3D. Como é o pack M temos um para-choques mais agressivo com um grande difusor a preto brilhante, assim como um pequeno spoiler na bagageira. Como se trata do 116 apenas temos uma ponteira, mas em modelos superiores temos duas ponteiras o que torna a traseira do série 1 ainda mais agressiva. Para o série 1 recomendo sempre optar pelo pack M, pois com os outros packs normais o série 1 fica muito banal, sendo que ao longe pode até ser confundido com um Fiat Tipo ao olho mais destreinado. Recomendo também a escolha deste azul que parece que nasceu para o carro!

O design interior também quebrou com tudo o que tínhamos até agora.

O design interior está muito parecido ao do série 3, e qualidade dos materiais, ao contrário do que acontecia na geração anterior, arrisco-me a dizer que é a melhor na classe. É muito difícil de encontrar plásticos na cabine do novo série 1, e quando os há, são plásticos de ótima qualidade.

Relativamente à habitabilidade esta aumentou para os passageiros traseiros, pois não só o série 1 cresceu, como também a BMW optou por manter a capacidade da bagageira, traduzindo-se assim num aumento de espaço para passageiros. Na parte dianteira também vamos muito confortáveis apesar de termos as baquets desportivas, baquets essas que são melhores que as da Mercedes com um encaixe ótimo.

No que toca a tecnologia o série 1 vem com um painel de instrumentos digital simples, pois apenas podemos alterar pequenas informações do lado direito, o aspeto dos mostradores conforme o modo de condução em que nos encontramos, e na parte central está sempre o mapa. O sistema de infotiment por sua vez é dos melhores que temos no mercado. Para começar o modo de operação não é exclusivamente tátil, podemos usar uma roda e uns botões de atalho na consola central que facilita o manuseamento em andamento. Por outro lado os gráficos são ótimos e o sistema é bastante completo, sendo que temos tudo como num computador como internet, app metrologia, excel, word e afins, entre todas as outras coisas relacionadas com o carro. Nas ajudas à condução temos a câmara de marcha atrás com sensores 360 graus, manutenção na faixa de rodagem, assistente de colisão frontal com travagem de emergência, cruise control adaptativo, entre muitos outros.

O 116D vêm equipado com um motor 3 cilindros a diesel, 1.5 cilindrada com 116cv e 270Nm de binário.

Esta versão 116D é a mais vendida em Portugal, e para a maioria das pessoas chega e sobra, pois a maioria delas quer é fazer consumos e este carro consegue retornar consumos na casa dos 6lts por 100km.

Este novo série 1, ao contrário dos anteriores, deixou de ser tração traseira e passou a ter tração dianteira, mas desengane-se quem acha que isso retirou divertimento ao carro. O carro ficou muito mais preciso, o equilíbrio de chassi juntamente com uma ótima suspensão e direção, imbicam a frente do série 1 precisamente para onde queremos sem nunca deixar fugir o carro, coisa que com tração traseira é difícil. Para este tipo de condução dinâmica e desportiva o série 1 deixa-nos de facto com um sorriso de orelha a orelha, apenas se encontra um pouco subaproveitado com este motor, sendo que recomendo por exemplo o 220D com 190cv. Em relação à condução em cidade também é ótimo, a caixa de velocidades automática facilita no pára-arranca, o carro tem uma visibilidade boa, e o seu tamanho compacto facilita os estacionamentos. Em auto estrada também temos umas ótimas viagens, pois apesar das baquets serem desportivas não são nada desconfortáveis, e a insonorização é boa não havendo muitos barulhos provenientes do exterior.

O série 1 obteve 5 estrelas nos testes do EuroNcap com 83% na segurança dos adultos, 87% na segurança das crianças, 76% na segurança dos pedestres e 72% nas ajudas à condução.

A versão ensaiada paga 147,21€ de IUC e custa 48.800€, no entanto pode obter um série 1 a partir de 30.680€.

Vídeo Youtube aqui.