Hyundai i30 N Fastback Performance Pack 275 cv – N de Notável

O Hyundai i30 N Fastback é de facto um automóvel notável capaz de dar dores de cabeça a automóveis de marcas que já andam no negócio dos “hot hatches” há muitos anos. A letra N deve-se ao facto de ter sido pensado em Namyang e aperfeiçoado em Nürburgring. Ora um automóvel que nasce das curvas desta icónica pista, as curvas do dia a dia nem lhe fazem cócegas.

O design exterior do i30 N Fastback é notoriamente diferente da versão normal, e de imediato percebemos que estamos perto de um carro com maior presença e mais especial.

Na parte dianteira temos uns para-choques com umas aberturas enormes por baixo dos LED’s de circulação diurna. Essas mesmas aberturas têm uma passagem de ar generosa que contribui para o fluxo de ar e para uma maior aerodinâmica. A grelha é em cascata mas pouco perceptível pois é toda preta, e temos um logótipo N de tamanho considerável. Na base do para-choques temos uma faixa vermelha que lhe dá um ar mais desportivo e contrasta bastante bem com o preto da grelha e o cinzento da carroçaria, cinzento esse muito bonito que se assemelha à pintura dos navios de guerra. Na parte lateral temos umas jantes de 19 polegadas com logótipo N, que se fazem acompanhar de umas maxilas de travão vermelhas também com o logótipo N inserido nas mesmas. Temos ainda umas embaladeiras mais desportivas também com o logótipo N. Na parte traseira temos um spoiler a preto brilhante, que é de tal forma alto que até somos capazes de ver a ponta pelo retrovisor interior. Temos um grande difusor com uma faixa vermelha para lhe conferir um ar mais desportivo, que se faz acompanhar de duas ponteiras de escape com um som de bradar aos céus! Ainda para o tornar mais desportivo temos a luz de nevoeiro com formato triangular, mesmo ao estilo dos carros do WRC.

O design interior é muito semelhante ao do i30 normal mas com umas ligeiras diferenças que o tornam mais desportivo.

No geral os materiais são os mesmos usados na versão normal, temos material suave a cobrir o topo do tablier e portas, mas ao passarmos mais para baixo e na consola central já temos o uso dos plásticos, no entanto tudo com uma qualidade de construção exímia. Surpreendentemente, os materiais suaves presentes no topo das portas dianteiras, passa para as portas traseiras, o que não acontece em muitos automóveis, como o VW Golf por exemplo. Temos um friso vermelho em volta das saídas de ventilação para lhe conferir um ar mais desportivo. No entanto, não encontramos nenhuma razão para a Hyundai não os colocar também nas saídas centrais, o que iria tronar o tablier mais uniforme e contrastante. A maneta das mudanças também é diferente, tem uma pega e aspeto mais desportivos, com o topo redondo e metálico e, com uma pele perfurada com pormenores vermelhos. O volante também é diferente, com uma pega mais desportiva, pele perfurada com pormenores de pesponto a vermelho, e tem o logótipo N inserido na sua base. Um pormenor que gostamos bastante, que não existe noutros carros desportivos ou existe apenas como extra, é os botões dos modos de condução presentes no volante. Os botões colocados no volante favorecem a experiência de condução, pois não teremos que desviar a atenção da condução para a consola central para trocar o modo de condução, basta intuitivamente movermos o nosso polegar. O painel digital também é diferente. O conta rotações e velocímetro têm um fundo em carbono e no conta rotações está inserido o logótipo N. O ecrã presente no meio dos dois é a cores em vez de preto e branco, e por cima deste está as luzes do “Rev Matching”.

Relativamente à habitabilidade é igual a do i30 Fastback normal, com bom espaço para o passageiro da frente e, para os de trás um espaço razoável, talvez um pouco menos que na versão normal dado que as baquets desportivas ocupam mais espaço. Baquets essas que não são demasiado rijas nem desconfortáveis, e que em tal como em todos os automóveis desportivos têm a parte central em alcantara e as partes periféricas em pele, o mesmo acontece nos bancos traseiros. Em termos de espaço de carga contamos com uma bagageira de 436 lt e 1337 lt aquando rebatidos os bancos, no entanto não temos uma área de carga uniforme devido às barras estabilizadoras presentes na bagageira.

Na tecnologia temos bancos totalmente elétricos com memória, chave inteligente, e um ecrã tátil de 8 polegadas onde nos é apresentado o sistema de infotaiment. Esse sistema é muito semelhante ao das versões normais, tem uma velocidade de processamento normal, funciona como um tablet com pequenas aplicações e é nos possível personalizar o nosso próprio menu. A diferença é que tem uma aplicação intitulada de “Modo N”. Nesse modo podemos ver informação como os PSI do turbo que estamos a usar, os Nm de binário e os cavalos de potência. Conseguimos ainda, ver o nosso gráfico da força G e temos um temporizador de desempenho que cronometra o nosso tempo num circuito e também a aceleração, seja ela dos 0 aos 100, 0 aos 160, conforme quisermos definir. É nos possível na secção “Custom”, personalizar o nosso modo de condução, em que podemos mexer em quase tudo. Isto é bastante bom, pois ao contrário de outros automóveis desportivos, podemos por exemplo ter tudo em modo “Comfort”, como por exemplo a direção, suspensão e motor, e termos o som do escape em modo “Sport +”. Isto traduz-se numa maior poupança de combustível e conforto, mas com o barulho do som de escape maior e mais afinado!

Nas ajudas à condução temos assistente de estacionamento com câmara de visão traseira, sistema de manutenção na faixa de rodagem, travagem automática de emergência, cruise control adaptativo, entre outros.

O i30 N Fastback vem equipado com um motor de 4 cilindros a gasolina com 2000 cilindrada a debitar 275 cv e 353 Nm de binário. O i30 N tem ainda a opção de overboost que aumenta o binário para 378 durante certo período de tempo, e é capaz de cumprir o sprint dos 0 aos 100 km/h em 6 segundos, sendo que nos conseguimos 6.3 segundos.

Se conduzirmos o i30 N Fastback de uma forma normal e calma, com o modo de condução “Eco” ou “Comfort”, temos uma experiência de condução muito semelhante a todos os outros automóveis. Óbvio que a direção, mudanças e suspensão são um pouco mais pesadas e rijas que o normal, mas nada de muito desconfortável que o modo “Comfort” não consiga atenuar. Em cidade conseguimos ter uma condução confortável, e apesar da suspensão e baquets desportivas, não se torna insuportável passar por cima das lombas ou irregularidades da estrada. Em autoestrada temos uma viagem confortável, mais uma vez sem as baquets desportivas serem demasiado rijas, e a cabine está bem isolada, apenas ouvimos algum barulho proveniente das rodas dado serem jantes de 19 polegadas e pneus de baixo perfil. A receita explosiva encontra-se ao ligarmos o “modo N” e adicionarmos uma estrada com algumas curvas. O “modo N” é o modo que coloca tudo o mais agressivo possível e desativa as ajudas eletrónicas. Apesar disso o i30 N Fastback é bastante plantado nas curvas, e quando foge é pouco, sendo que conseguimos resolver o problema sem grandes dificuldades. Temos umas luzinhas no topo do painel de instrumentos que é o “REV Matching”. Ao fazermos uma condução desportiva as luzinhas vão aparecendo gradualmente desde o branco, amarelo, até ao vermelho e no momento certo de trocar a mudança piscam. Se fizermos “à maneira do i30” temos uma experiência de condução fenomenal, com o escape a fazer “pipocas” a torto e a direito.

Com uma condução mista entre o “modo N” e modo “Comfort” conseguimos obter consumos de 9.8 lt por 100 km, nada mau!

O i30 N Fastback obteve 5 estrelas nos testes de segurança do EuroNcap, com 88% na segurança dos adultos, 84% na segurança das crianças, 64% na segurança dos pedestres e 68% nas ajudas à condução.

A versão ensaiada custa 45 722,75€, no entanto pode obter um i30 N Fastback Performance Pack a partir de 45 332,75€. O i30 N paga 238,66€ de IUC.

Em suma o i30 N Fastback é um excelente automóvel desportivo com que facilmente podemos viver no dia a dia e, mostra-se bastante mais divertido de conduzir que outros desportivos de marcas mais conceituadas no mercado e que já andam no negócio dos “hot hatches” há mais tempo.

Assista ao vídeo aqui.