Hyundai Tucson 1.6 T-GDI 150cv – A revolução começa

A revolução da Hyundai na Europa começa com este novo Tucson. É um objetivo da Hyundai destronar a Toyota como a marca asiática mais vendida na Europa durante os próximos anos, e de facto este novo Tucson tem tudo para ser um sucesso de vendas. É bonito, tem bons motores e muita tecnologia! Tudo isto por um preço muito mais acessível que os seus concorrentes.

O design exterior do Tucson aplica a nova linguagem de design da marca, a “Sensous Sportiness” que faz o uso de muitos ângulos (há sempre algo a acontecer), e na minha opinião este SUV está bastante bonito.

Na parte dianteira temos a nova grelha da Hyundai e um pormenor bastante interessante. As óticas estão inseridas na grelha, ou seja, quando o Tucson tem as luzes apagadas as óticas não se vêm e parece que o carro não tem faróis. Depois a frente é bastante larga e tem o capot com um desnível no seu centro (tal como encontramos em muitos carros desportivos). Na parte lateral temos um perfil bastante desportivo (quase que parece um dardo) e temos muitos ângulos nas portas. Temos um vinco que vem do capot e que se introduz nas portas dianteiras, e temos outro vinco que vem das óticas traseiras e que entra nas portas traseiras. O carro na sua lateral tem muitas formas. Temos ainda umas jantes de 18 polegadas, que apesar de não ficarem mal, acho que ficaria melhor umas jantes de 19 polegadas. Gosto também do que fizeram com a parte traseira, com o símbolo da Hyundai introduzido no vidro para não estragar os ângulos da bagageira. O formato das óticas traseiras também é brutal, e quando estão ligadas durante a noite é um espetáculo de cores, com aquele led que atravessa toda a bagageira. Temos ainda um pequeno difusor no para-choques, e se for a versão híbrida uma dupla ponteira de escape.

Tal como o design exterior, o design interior está muito bem conseguido.

Para começar, o que eu gosto mais são as saídas de ventilação embutidas no friso do tablier (parecendo que se trata de uma peça só), friso esse que continua depois pela porta. Depois a parte central onde estão os controlos da climatização e o infotaiment está ligeiramente inclinada para a esquerda para que seja focada no condutor. O que me desiludiu um pouco foi essa parte central, que nas fotos parecia trata-se de um painel apenas (ou vários bem disfarçados), mas ao vivo vê-se muito bem os vários ecrãs que lá estão colocados. No entanto dá um ar muito digital ao tablier do Tucson com a ausência de botões.

A qualidade dos materiais é boa, temos material suave a cobrir todo o tablier e portas, apenas nas partes mais em baixo temos os plásticos. A pele do volante também é bastante agradável ao toque.

No que toca à habitabilidade os bancos dianteiros são muito confortáveis. Na parte traseira, se o Tucson anterior já era bom, este é ainda melhor! Conseguimos transportar 3 adultos sem grande dificuldade pois o carro é largo o suficiente, e temos imenso espaço para pernas e cabeça. É nos possível ainda por os pés debaixo dos bancos dianteiros e irmos numa posição mais esticada.

No que toca à capacidade de carga temos uma bagageira com 620lts de capacidade, que podem ser aumentados com os bancos rebatidos até 1799lts.

A versão ensaiada está equipada com uma motorização 1.6 T-GDI a gasolina com 150cv e tecnologia Mild-Hybrid. Existe também uma motorização 1.6 CRDI a diesel com 115cv e 136cv, e uma motorização híbrida com 230cv.

Estes 150cv e um motor 1.6 podem parecer pouco para um SUV das dimensões do Tucson, mas não se deixem enganar, este motor tem bastante genica e a performance é mais do que satisfatória. 

Na condução em percursos urbanos o Tucson comporta-se lindamente. Temos uma direção leve que facilita as manobras em cidade (estacionamentos e inversões de marcha por exemplo), a suspensão faz um bom trabalho nas irregularidades da estrada (não é das mais suaves mas é boa o suficiente) e a visibilidade é boa no seu geral, tirando a da janela traseira, que devido ao formato do carro ficamos com o campo de visão semelhante ao de um i20. Na condução em auto estrada também é bom, está muito mais bem isolado que o seu anterior e o barulho proveniente do exterior não é muito incomodativo (quase não precisamos de aumentar o volume do rádio). Para além dos modos de condução “Comfort” e “Eco”, temos um modo “Sport”, e devo dizer que nos conseguimos divertir um pouco com o Tucson. Como já referi este motor é bastante bom, tem uma boa disponibilidade e puxa bem, e nas curvas, apesar de SUV, o Tucson tem um bom comportamento, sendo que podemos tirar daqui alguma emoção na condução (nunca exagerando, pois não temos o centro de gravidade de um carro. Se abusarmos ele começa a fugir).

No que toca aos consumos conseguimos fazer entre os 7,5lts e os 7,8lts por 100km (nunca fiz mas de 8lts), o que eu acho serum consumo bastante bom para um SUV destas dimensões, dado que o Hyundai i20 faz sensivelmente os mesmos consumos e é um automóvel muito mais pequeno.

A versão ensaiada custa 37.150€ (com campanha 34.150€) e paga 171,69€ de IUC.

Link vídeo Youtube: https://www.youtube.com/watch?v=VTnVQ98onQk&ab_channel=FirstGearPortugal