the sleeper.

Sleeper. Não, não é algo que seja sonolento ou provoque sono. E também não é nenhum medicamento em testes para as insónias. Não, é a designação para um projecto com aspecto sóbrio e elegante mas com um coração pulsante, cheio de potência e força. Basicamente, é aquilo a que chamamos lobo em pele de cordeiro. Mas não se deixem enganar pelo aspecto elegante e até clássico deste Corsa, tudo o que foi feito neste projecto serve para aumentar a eficácia e dinãmica do pequeno utilitário da Opel.

Hoje trazemos uma das versões mais completas e bem equipadas dos Corsa A mark I (ou primeira geração), a Luxus. Sim, como o próprio nome indica, tinha mais luxo interior e melhores acabamentos. Sim, vocês sabem que adoramos ouvir os nossos amigos a falarem dos seus automóveis e este caso não é excepção. O Rafael apaixonou-se pelo modelo A do Corsa em 2010, quando recebeu de oferta um A 1.0 MK2, que claro, não ficou stock muito tempo. Tanto mecânica como esteticamente, o primeiro Corsa A do Rafael levou todos os extras disponíveis na época, como por exemplo o kit Gsi, quadrante digital e o motor do Calibra 2.0. Mais tarde, quando o desmontou para restaurar a pintura, descobriu bastantes defeitos e problemas na carroçaria, a ponto de não ser recuperável economicamente, o que o levou a procurar uma nova carroçaria, dado que o resto estava em excelentes condições. Surge o Luxus que aqui vos trazemos, em excelente estado, de 1 de Janeiro de 1984, portanto mais velho do que qualquer um de nós na AWP. Apesar de passar de um MK2 «full extras» para um MK1 básico, a paixão pelo modelo leva-o a prepará-lo como aqui o mostramos e que mais tarde iremos falar em maior detalhe.

O Rafael, jovem já bem experiente na área da modificação automóvel, encontrou neste Corsa uma base interessante para o que pretendia fazer. Esteticamente pouco alterado, foi no restauro e nas peças OEM que o dono deste automóvel apostou. Todo o carro foi devidamente preparado para a nova pintura, tendo sido totalmente desmontado, ficando com o metal a para que a recuperação fosse feita como deve ser. Sem ferrugens ou áreas a necessitar de intervenção, este Corsa foi pintado num tom de cinza que se encontrava no catálogo da marca na altura em que podia ser comprado novo, na Opel. Continuando a olhar para o exterior, observamos que até os frisos e lettering são os originais. O Rafael não procurou desvirtuar ou modificar a estética deste A, mas sim preservar as suas linhas «quadradonas» e detalhes como há mais de 30 anos. Apesar do carro ser de 1984, a chapa não precisou de grandes intervenções e permitiu ao seu dono fazer tudo em casa, poupando algum dinheiro em mão-de-obra numa oficina de pintura. Além do bom estado de conservação, outro dos factores que fez com que o exterior se mantivesse como de origem foi o facto de se tratar de um mark I, esteticamente mais raro e mais exclusivo, principalmente quando nos referimos a veículos alterados.

A tampa do motor em arden blue com o logo OPC não engana: estamos na presença de um motor que não é deste Corsa A! Tal como já falamos antes, o termo sleeper ganha aqui a sua justificação e nada melhor que manter as «coisas» em casa, usando um motor da divisão desportiva OPC. Neste caso específico, o coração do Corsa é proveniente de um Opel Astra G OPC, o chamado X20XER 2000cc 16v de 163 cv, adaptado e ajustado ao chassis e menor cofre de motor do Corsa A. Depois de fecharmos o capot e olhamos novamente para o perfil deste Corsa A, sorrimos ao pensar que por fora é um «simples» Opel Corsa, mas que no seu interior esconde um motor potente, interessante e acima de tudo, desafiante quer de colocar, quer de desenvolver e optimizar. E estando nós a olhar para este A, observamos que a suspensão foi trabalhada para suportar o novo motor e a sua nova alma, contando agora com uns coilovers KW V1 regulados e adaptados quer à nova motorização, quer à tipologia de condução do Rafael.